SABIA QUE...?

Agosto 11 2005
Saiba se o micro roda o Google Earth



O Google Earth é uma aplicação 3D recomendada somente para computadores com acesso à Internet em banda larga. Dadas as suas possibilidades, ele até que não exige uma máquina muito poderosa.


Mesmo assim, alguns pontos devem ser levados em consideração. De cara, o Google avisa:



O programa não roda em computadores Macintosh - a empresa garante que está trabalhando em uma versão;

É pouco provável que o programa rode em computadores de mesa com mais de quatro anos;

É pouco provável que o programa rode em notebooks com mais de dois anos.


Agora, confira as configurações minima e recomendada para rodar o Google Earth




Mínima:




Sistema operacional Windows XP ou 2000

Processador Pentium III 500 MHZ

128 Mb de RAM

200 Mb de espaço no disco rígido

Placa de vídeo 3D com 16 Mb (VRAM)

Tela com resolução de 1024 por 768, em true color 32-bit

Internet banda larga de 128 kbps


Recomendada




Sistema operacional Windows XP

Processador Pentium 4 2.4 GHz ou AMD 2400xp+

521 MB de RAM

2 GB de espaço no disco rígido

Placa de vídeo 3D com 32 MB (VRAM)

Tela com resolução de 1280 por 1024, em true color 32-bit

Internet banda larga de 128 kbps


O Google ainda avisa que o programa deve funcionar om a maioria das placas de vídeo dos seguintes fabricantes:




NVIDIA

ATI *

3D Labs

Intel **

Matrox

S3

* Exceções: ATI Rage Mobility, ATI Xpert e ATI 3D Rage. ** Placas 3D da Intel rodam, como padrão, na versão OpenGL, mas funcionam melhor com DirectX (selecione Iniciar > Programas > Google Earth > Start Google Earth in DirectX).



Seguem mais algumas recomendações:




Usuários de placas Matrox devem usar a versão OpenGL;

Usuários de placas S3 devem usar a versão DirectX.








Saiba mais



» Baixe o Google Earth










Algo que era reservado somente para pesquisadores e militares está, agora, disponível para qualquer mortal: ver o planeta inteiro a partir de imagens de satélite. Não pense que é ficar olhando para o tradicional globo em azul e verde. É conseguir, por exemplo, ler o famoso letreiro de Hollywood .


Navegar pelo planeta é possível por meio do Google Earth, um software lançado recentemente pela empresa da principal ferramenta de busca da Internet. O Google adquiriu outra companhia, chamada KeyHole ("buraco da fechadura", em inglês) para, inicialmente, integrar o sistema com o seu serviço online de mapas. Depois, tornou o software disponível, gratuitamente, para qualquer internauta.



O funcionamento do programa é bastante simples. Basta "rolar" o globo virtual para chegar aos locais, ou digitar o nome de um país ou cidade em um campo do lado esquerdo da tela. Depois, é possível girar, aproximar ou "deitar" a imagem. O usuário também pode criar locais "favoritos", enviá-los por e-mail e várias outras coisas.



Em alguns locais, a imagens são impressionantes, a ponto de ser possível ver casas e até pessoas .



Aplicações comerciais



É claro que o Google não comprou uma empresa e tornou gratuito um serviço deste porte por camaradagem. Duas versões são pagas: uma delas, que inclui recursos de sistema de posicionamento global (GPS), custa US$ 20 anuais. A outra é voltada para empresas e sai por US$ 400 anuais. Além disso, o programa mostra locais de hotéis e restaurantes em cidades dos Estados Unidos.



Considere as aplicações comerciais do Google Earth: é possível, por exemplo localizar as unidades do McDonald's em Nova York, com link para seus endereços na Web. E determinar o melhor trajeto para chegar do ponto onde você está até o restaurante. Agora, estenda esses e outros serviços para pelo menos as principais cidades do mundo e você terá uma idéia da arma que o Google tem nas mãos.



.



Google Earth







O Google Earth é uma espécie de navegador com o qual você pode visualizar todo o o planeta. As imagens são capturadas de satélites, com uma qualidade impressionante. O programa é totalmente gratuito, mas requer máquina potente e conexão rápida à Internet.




O Google Earth é integrado com uma ferramenta de busca. Basta digitar o nome de uma cidade para ele levá-lo até ela. Além disso, o programa permite criar "favoritos" dos locais, para acesso rápido, entre vários outros recursos.



Versão: 3 beta



Tamanho: 10 Mb



Licença: gratuito



Idioma: inglês



Plataforma: Windows








publicado por Lumife às 01:18

Agosto 08 2005
goes8_sm.gif



O Google Earth, software que exibe imagens do mundo inteiro capturadas por satélites, já virou mania entre os internautas. Para quem já baixou o programa ou para "navegadores" de primeira viagem, preparamos uma série de dicas para explorar a maioria dos recursos, incluindo envio de locais por e-mail, medição da distância entre dois pontos e muito mais.


Dez dicas para usar o Google Earth



1. Como encontrar os locais


No caso de um país ou uma cidade (conhecida), basta digitar o nome dela no campo acima do botão "Search" e teclar "enter". No caso de algo específico - como uma empresa, por exemplo -, mude a opção para "Local Search". Em seguida, digite o nome do que deseja encontrar no primeiro campo, e o nome da cidade ou do país no segundo. Essa opção, no entanto, é precisa somente para alguns países, como Estados Unidos e Inglaterra.



2. Veja uma maquete digital das cidades


Também no caso de algumas cidades, sobretudo dos Estados Unidos, é possível visualizar os prédios representados por maquetes digitais. "Voe" até New York, por exemplo, e marque a caixa "Buildings" na barra inferior. O resultado é impressionante.



3. Encontre hotéis, restaurantes e estradas


Todas essas opções também estão disponíveis na barra inferior: hotéis e locais de alojamento (lodging), ruas e estradas (roads) e bares e restaurantes (dining). Além de, mais uma vez, funcionar somente em algumas cidades, o resultado deixa os mapas bastante poluídos. Outra opção interessante é marcar a caixa Borders, que inclui as divisas dos países. Vários elementos similares estão disponíveis no campo "Layers", na barra lateral esquerda.



4. Marque seus locais favoritos


No Google Earth, a exemplo dos navegadores como Internet Explorer e Firefox, você pode ter os seus locais favoritos sempre à mão. Para tanto, localize o local e clique no botão de um alfinete de marcador no canto inferior direito do programa. O marcador ficará disponível para você ajustá-lo, assim como uma janela na qual poderá colocar nome e outras informações. Os locais favoritos ficam armazenados em uma área chamada My Places, na barra lateral esquerda.



5. Envie locais por e-mail


Quer compartilhar os locais encontrados com seus amigos e colegas? Basta localizar o local e clicar no botão de uma cartinha, no canto inferior esquerdo do Google Earth. Ele vai perguntar se você deseja enviar o ponto para o destinatário visualizá-lo dentro do próprio programa (opção "KMZ") ou apenas a imagem - durante os nossos testes, a segunda não funcionou algumas vezes. O aplicativo também pergunta se o usuário deseja enviar pelo Gmail, o webmail do Google, ou pelo cliente de correio eletrônico padrão. Em qualquer um dos casos, será aberta a janela de envio de e-mail. Preencha o endereço do destinatário e envie.


6. Veja as imagens em "relevo"


No Google Earh, você não precisa ver imagens somente de cima. Por meio do controle logo ao lado esquerdo do alfinete de marcador, você pode "deitar" a imagem de forma que ela fique em relevo. O resutado fica meio achatado, mas em alguns casos é bem interessante.


7. Veja o Google Earth em tela cheia


Para eliminar menus e barras, e visualizar o programa no máximo do espaço da sua tela, pressione o botão F11 do teclado. Para voltar ao normal, faça o mesmo.



8. Meça a distância entre dois locais


Quer saber a distância, em linha reta, entre dois locais? Primeiro, localize ambos no mapa - não podem ser muito distantes. Em seguida, selecione a opção "Measure" no menu "Tools". Vai aparecer uma janela em frente à imagem. Clique, então, nos dois pontos desejados. O resultado vai aparecer na janela, inicialmente em milhas. Para facilitar, basta mudar a unidade para quilômetros, por exemplo.



9. Onde encontrar indicações de locais


De longe, a melhor opção é o endereço www.tagzania.com. O site opera por meio de um método cada vez mais popular chamado de "tags", algo como categorização livre. É possível encontrar listas de diversos locais, incluindo do Brasil, enviadas pelos próprios usuários. Na verdade, o site é integrado com o Google Maps, a versão online do Earth, mas serve de orientação para encontrar o mesmo local no software. O recurso mais importante é um botão "KML" que aparece no final de todas as listas. Clique, salve e execute o arquivo. Ele monta, no próprio programa, uma lista dos últimos locais enviados, atualizada automaticamente - similar ao RSS. Desnecessário dizer também que já foram criadas várias comunidades sobre o Google Earth no popular Orkut.



10. Como manter o Google Earth sempre atualizado


O Google Earth está em versão beta, e vem recebendo atualizações constantes. Para checar se a sua é a última disponível, selecione a opção "Check for Updates Online" no menu "Help". Uma janela vai mostrar a versão instalada, a última disponível e ainda um link para baixá-la.





-Continua_

publicado por Lumife às 22:47

Agosto 03 2005

O Yoga é reconhecido como uma prática ao alcance de todos, independentemente da idade, no entanto, cremos que é na infância que esta se deve iniciar para podermos aproveitar as potencialidades inerentes à própria criança.



Na sociedade actual as crianças encontram-se sujeitas a uma estimulação excessiva própria da vida moderna, horários demasiado preenchidos, pressão e competição escolar, factores que contribuem para aumentar a ansiedade, dispersão, falta de atenção e concentração.



As crianças nascem com capacidades tanto psíquicas como corporais extraordinárias, têm uma enorme flexibilidade, apresentam um óptimo sentido auditivo e visual, uma energia considerável e o dom precioso da sua ilimitada imaginação.



As possibilidades tornam-se infinitas, mas podem constituir problemas quando a energia se dispersa, o que nos alerta para o facto de orientar as crianças não as deixando ao acaso.



As Disciplinas técnicas do Yoga-Sámkhya (o poderoso e sapiente Yoga primordial, com mais de 6000 anos de existência, anterior à perda da potência que os sucessivos desmembramentos do Yoga causaram), respeita princípios no que diz respeito à manutenção e formação deste ser tão especial em transformação e desenvolvimento que é a criança:

Preserva e mantém a sua flexibilidade, pureza, imaginação, criatividade e grande capacidade de aprendizagem.

Acrescenta capacidade de concentração, crescimento saudável, respeitador e exponencial.
Confere forte base ética e moral de respeito por si, pelo próximo e pela envolvente humano cósmica e planetária.

Prepara para o formidável choque hormonal da adolescência de forma criativa e não traumática e se continuar a praticar em adulto fortalece para o segundo choque biológico hormonal (das andro e menopausas), mas também para as alterações pontuais hormonais do dia a dia (agressividade, desafio, competição), mantendo sempre um emocional positivo.




O Yoga-Sámkhya dispõe de 12 Disciplinas Técnicas para o desenvolvimento total do ser humano.


Com as crianças utilizamos 11 Disciplinas Técnicas aplicáveis a este grupo etário uma vez que ainda se encontram em crescimento e maturação, (por exemplo, Ásana: posições psicobiofísicas, Pránáyáma: exercícios respiratórios de influência energética e neurovegetativa, Dhyána: concentração e meditação pelo controlo de frequência das ondas mentais, Yoganidrá: técnicas de relaxamento físico, emocional e mental, Kriyá: tonificação e limpeza orgânica e Kírtana: domínio de sons extroversores e da Harmonia).



Assim sendo, dando resposta a todas estas dimensões da pessoa, da criança, a abrangência do Yoga, permite a transição para uma vida mais harmoniosa, mais agradável e em pleno exercício da cidadania, onde a competição é substituída pela colaboração, o stress pelo humor e o amor do poder pelo poder do amor.



O Yoga ajuda a criança a caminhar com maior consciência e segurança, oferecendo-lhe a possibilidade de conviver com o melhor de si própria, ensinando-lhe a harmonizar as suas energias, proporcionar-lhe um FUTURO RISONHO e FELIZ.



Dr.ª Rosa Xufre

Educadora de Infância

Professora de Yoga para Crianças há 23 anos, tendo como Mestre Jorge Veiga e Castro.
Para mais informações, contactar:

Associação Lusa de Yoga

Telefone: 217 802 810




publicado por Lumife às 22:57

mais sobre mim
Agosto 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar
 
eXTReMe Tracker
subscrever feeds
blogs SAPO