SABIA QUE...?

Maio 20 2005
lis.jpg





Além de ter recebido recentemente um e-mail também li no PEDRA NO CHARCO a informação que abaixo se transcreve. NÃO QUERO ACREDITAR QUE SEJA VERDADE.



"Com as eleições legislativas de 20 de Fevereiro, metade dos 230 deputados para a Assembleia da República não foram reeleitos. Os que saíram regressam às suas anteriores actividades profissionais; contudo, nenhum sai triste e cabisbaixo.



Quando terminam as suas funções, os deputados (e governantes) têm direito a um subsídio dito de reintegração: recebem um mês de salário (3.449 euros) por cada seis meses que passaram na Assembleia da República ou Governo. Desta maneira, um deputado que o tenha sido durante um ano recebe, assim, dois ordenados (6.898 euros); e um que tenha estado na Assembleia da república durante vinte anos recebe vinte salários (68.980 euros). Feitas as contas, e tendo por base só os deputados que vão sair, o Estado terá que desembolsar mais de 2.500 mil euros.



No entanto, há aqueles deputados que têm direito a subvenções vitalícias, ou pensões de reforma. Estas são atribuídas aos titulares de cargos políticos com mais de 12 anos de serviço (sim, são doze) e quando o deputado atinge os 55 anos de idade (sim, são cinquenta e cinco), aumentando o seu valor quando perfaz 60 anos. Entre os ilustres reformados do Parlamento encontramos figuras tão conhecidas como Almeida Santos (4.400 euros), Medeiros Ferreira (2.800 euros), Manuela Aguiar (2.800 euros), Pedro Roseta (2.800 euros), Helena Roseta (2.800 euros), Narana Coissoró (2.800 euros), Álvaro Barreto (3.500 euros) – estes com mais de 20 anos de Assembleia da República – Vieira de Castro (2.800 euros), Leonor Beleza (2.200 euros), Isabel Castro (2.200 euros), José Leitão (2.400 euros), Artur Penedos (1.800 euros) e Bagão Félix (1.800 euros). Quanto aos ilustres reintegrados (com direito ao subsídio de reintegração) podemos encontrar os seguintes ex-deputados e ex-ministros: Luís Filipe Pereira (26.898 euros/9 anos de serviço), Sónia Fertuzinhos (62.000 euros/9 anos meio de serviço), Maria Santos (62.000 euros/9 anos de serviço), Paulo Pedroso (48.000 euros/7 anos e meio de serviço), David Justino (38.000 euros/5 anos e meio de serviço), Ana Benavente (62.000 euros/9 anos de serviço), Maria do Carmo Romão (62.000 euros/9 anos de serviço) e Luís Nobre Guedes (62.000 euros/9 anos e meio de serviço).



A maioria dos deputados que não regressam ao Parlamento apenas lá estiveram na última legislatura. Desta forma apenas sentiram o peso da função durante 3 anos. O suficiente, mesmo assim, para terem direito a um subsídio de reintegração no valor de cerca de 20.000 euros.

"



publicado por Lumife às 00:03

Mais mil, menos mil... tanto faz. Grão a grão enche a galinha o papo!!Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.pt)
Anónimo a 20 de Maio de 2005 às 13:00

mais sobre mim
Maio 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
17
18
19
21

22
27
28

29
30
31


pesquisar
 
eXTReMe Tracker
blogs SAPO